sábado, 8 de novembro de 2008

Dias de arrumações

Decidido a recomeçar de novo coloquei mãos à obra.

Em Janeiro de 2009 muito vai mudar na minha vida, além de um novo país quero tornar-me mais simples e também menos complicado.

Ao longo da vida vamos acumulando bens materiais. Parei para pensar, a vida é bem mais sem tudo isto. Roupa, artigos de desporto, brinquedos, aparelhos domésticos, entre outros.

A Miss Sonhos Milka "queixa-se" das 23 camisas que enviei para a nova casa. E cá entre nós, escolhi apenas as que gostava mais! Mas sou como o pobre rato, sempre com o mesmo fato... : )

Não precisamos de muito para sermos verdadeiramente felizes. Viver num espaço confortável mas sem estar lotado. Cada vez mais aprecio o minimalismo, ganhando espaço e até poupando dinheiro.

Comecei por uma divisão de cada vez, eliminando o que realmente não faz falta e fiquei surpreendido com a quantidade de papéis sem importância que ficaram "arquivados" com o passar do tempo. Costumo dizer à minha mãe que ela não arruma, esconde as coisas. Custa-lhe ver-se livre das memórias.

Ao comprar alguma coisa nova tratarei imediatamente de doar ou reciclar o antigo. Esta semana entregarei os meus brinquedos de infância a uma instituição de caridade. Muitos anos de promessas deixando sempre para o próximo mês...

Revê-los fez-me sorrir, relembrar brincadeiras, amigos e até disputas. A diferença para esta geração, apesar de pertencer à geração dos 30 é impressionante.

Brinquedos básicos e de colecção como a carrinha da selecção de futebol de Espanha 82 em estado impecável. Espero que façam outra criança tão feliz como me fizeram a mim...

Já imagino os miúdos alegres: oh cota carrinhos, bolas e jogos didácticos?! Onde raio está a Playstation...?!

No final sinto-me liberto, similar aquela sensação de quando era miúdo e na catequese tinha que me confessar ao padre. O senhor padre chateava-se sempre comigo porque eu dizia que não tinha novos pecados e os que tinha já os tinha resolvido directamente com Deus...

Mas a sensação com que saía de liberdade e de leveza era fantástica. Deito tudo para trás dos ombros e sigo em frente para cometer mais pecados... ; )

2 comentários:

Rui Henriques disse...

Ah! Ah! Fantástico artigo sobre a arte de saber envelhecer!

Eduarda Magalhães disse...

Bom post :)

Obrigado pelo comentario no meu blog.
Então vais mudar de país? Então qual é o que se segue?
Gostei de conhecer o teu cantinho.
Fica bem
Eduarda