quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Espaço Shengen

Aproveitando o meu tópico da Alfândega li hoje que a partir do dia 12 de Dezembro não haverão controlos de fronteira na Suíça e a partir de 29 de Março nos aeroportos.

Decisão votada por referendo em 2005. Os suíços lá saberão o que fazem mas espero que sinceramente aumente a fiscalização de emigrantes no negro e que se imponha limites na atribuição de passaportes a refugiados.

Tenho visto alguns albaneses, romenos e outras nacionalidades de Leste a mendigar nas ruas completamente desintegrados nesta sociedade o que era perfeitamente impensável há alguns anos atrás antes das guerras nos Balcãs.

É certo e todos sabemos que a Suíça não seria o país que é sem a mão de obra estrangeira e mesmo os suiços sabem dar valor a este aspecto mas necessita apenas dos que trabalham e não dos que abusam da segurança social.

Vejo igualmente da América Latina, principalmente brasileiras que escrevem à descarada em fórums e anúncios na internet que querem casar com suiço apenas para obter os papéis!

Este cartaz do partido SVP publicado no ano de 2007 foi extremamente criticado por conotações de racismo e xenofobia ao defender a deportação de indivíduos e famílias inteiras estrangeiras que cometam crimes.


São necessários pelo menos 12 anos a viver legalmente, pagar impostos e não ter registo criminal para se obter a cidadania suiça. Além destes, é necessário falar fluentemente o idioma do cantão, estar empregado e integrado com o povo suiço.

Igualmente nascer na Suiça não dá direito à nacionalidade. Apenas se um dos pais for suiço.

Mas não deveriam de todos os países ser assim?

Mesmo sendo cidadão num mundo globalizado, tenho de respeitar e de me integrar no seu país. Eu bem vejo alguns a escarrar (desculpem a expressão) para o chão na rua, de camisa aberta a falar ao telemóvel e a ouvir música aos berros do Alá Alé Alí...

Temos um casal de vizinhos albanês. No primeiro dia em que cheguei cumprimentei a esposa com um "Bonjour" por educação ao que a minha namorada disse: "não digas nada que o marido é muito ciumento, bate-lhe e ainda se zanga contigo!" Simplesmente sorri, por dentro até pensei que gostava de ver isso. Mas o mais inacreditável é saber que nós temos um apartamento de peça e meia e este casal um apartamento de 3 peças pago pela Segurança Social suiça! Isto porque a esposa fez queixa na Polícia local que ele lhe batia, a Segurança Social protegeu-a juntamente com os filhos e o marido continua a viver às escondidas lá por casa. Nada que uma denúncia não possa desmascarar...

Igualmente vi ontem na televisão local que os polícias em Lausanne em caso de violência doméstica tem já autorização para expulsão imediata do conjûge.

Temos como exemplo a França, onde tenho família que emigrou na década de 70. Por essa altura, os portugueses viviam nos subúrbios pobres das grandes cidades mas com trabalho e oportunidades muitos fizeram a fortuna que pretendiam para regressar a Portugal. Os meus primos dizem que esta nova geração de emigrantes de países muçulmanos e do leste usam e abusam da segurança social. Como nasceram em França, são considerados pela lei franceses, sendo praticamente intocáveis. Estão desempregados, recebem um valor que o Estado atribui como incentivo para procurar trabalho e fazem justamente o contrário. "Vivem" desse dinheiro e nada fazem na vida! O mesmo acontece na Bélgica, na Alemanha, na Holanda e um pouco por toda a Europa.

Numa recente viagem à Suécia, saía do metro na estação central de Estocolmo quando me deparo com uma manifestação a favor de direitos de trabalho. Um agrupamento talvez de 100 pessoas entre os quais alguns suecos a empunhar cartazes de apoio em cima de mesas e gritavam ao megafone. Reinvindicam melhores condições para os trabalhadores não qualificados estrangeiros, para receberem o mesmo valor que os suecos fazendo horas extras. Até aí nada a dizer. Mas eis que reparo em alguns indivíduos a rondarem a minha mochila. Dando-me conta do sucedido, como tira-teimas e para não conspirar ou acusar ninguém comecei a dar rondar o meu companheiro de viagem dando voltas em círculo, ao que o meu colega responde: "já reparaste que andam de olho na tua mochila?!" Disse-lhe que sim, que agora tinha a certeza.

Partimos mas com aquela sensação de tristeza profunda. Nem mesmo numa manifestação a favor dos seus direitos de trabalho e com apoio de suecos estes animais se coibiram de aliciar objectos alheios.

Sou neto de emigrantes portugueses que na década de 50 emigraram para a Venezuela e neste país integraram-se na sua cultura, nos seus hábitos e costumes, sem perder o contacto com a do seu país através de associações e clubes recreativos.

Foram para trabalhar e não para se sentarem numa esquina com um cartaz a dizer que a culpa é da sociedade que não os integra. Trabalharam, abriram um negócio próprio, pagaram os seus impostos e seguiram em frente. Os portugueses podem até ter muitos defeitos mas eram na sua grande maioria trabalhadores. Os que começo a ver por aqui nem humildes nem trabalhadores.

São parasitas da sociedade actual.

Garage Box

Ontem recebemos a confirmação. Conseguimos um lugar de garagem mesmo em frente ao nosso prédio.

Por aqui as garagens são muito apetecíveis. São 50 cães ao mesmo osso :)

A carrinha vai poder dormir coberta e ainda temos lugar para os esquis e para os skus.

O senhorio de 88 anos até nasceu no Brasil mas veio muito pequeno para cá. Simpático e educado teve a delicadeza de ao cumprimentar-me retirar o seu chapéu num puro gesto de cavalheirismo. Há quanto tempo não via isto, dá gosto negociar assim.

Bastaram 5 minutos, uma visita rápida às "instalações", um convite para subir a nossa casa para assinar o contrato e uma ida ao banco para proceder ao pagamento dos 2 meses de caução e processar o débito directo mensal da renda.

Nunca fui pessoa de choradinhos ao pagar, por aqui os suíços consideram uma ofensa tentar regatear o preço por barganha ou insistência.

Quem quer paga, quem não quer fica a ver navios em Ouchy junto ao Lago Lemán.

Como já o disse, já tive uma loja aberta a público e não suportava quem passasse todo o dia a chorar 1 euro e depois saíam num BMW M5. Dava mais depressa o desconto a quem fosse educado e estivesse calado.

Links úteis para arrendar ou comprar apartamento, casas de férias, espaços comerciais e garagens na Suíça

www.immoscout24.ch

www.homegate.ch

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Alfândega

Habituado que estou ao pequeno vício de fazer compras online em lojas e leilões internacionais venho partilhar algumas ideias sobre a alfândega aqui na Suíça.

Há cerca de 2 semanas fiz um pedido numa loja australiana com entrega em nossa casa em Lausanne. Nessa altura estava em Portugal mas como chegaria na semana seguinte decidi aproveitar para conhecer e testar a organização e rapidez da alfândega em terras helvéticas.

A encomenda demorou cerca de 5 dias úteis a ser entregue dos quais esteve 1 dia na alfândega em Zurique.

Burocracias e papelada? Apenas 2 documentos. O primeiro dá conta do câmbio de dólares australianos para francos suiços e respectiva taxa de IVA de 7.6%. O segundo indica valor total do pedido, através da soma do IVA + Serviço de Desalfandegamento.

Tudo transparente, sem enganos e sem complicações. E a senhora da Poste indicou-me que a loja australiana na sua boa fé colocou vários catálogos e posters de oferta, o que foi catalogado como merchandising.





Durante 4 anos tive um negócio próprio em Portugal, uma loja de desporto. Neste tempo por diversas oportunidades tive que recorrer a compras fora do espaço comunitário, o conhecido espaço Schengen, o que automaticamente significa que iriam parar na alfândega portuguesa. Começavam as dores de cabeça.

Nestas paragens cheguei a esperar mais de 4 meses por canos e óculos de protecção, os quais foram para peritagem no Departamento de Armas e Explosivos da PSP.

Com uma imaginação fértil podia até estar a pedir uma arma aos pedaços para a montar em casa :)

Apesar da insistência diárias e telefonemas perdidos, o telefone da alfândega em Cabo Ruivo (junto ao Parque das Nações) estava constantemente ocupado ou simplesmente ninguém o atendia! Tive que deslocar-me por várias vezes cerca de 300 km, cansado de esperar para forçar pessoalmente o desalfandegamento.

Vi de tudo, desde 5 senhoras numa sala grande com luvas cirúrgicas em que cada uma tinha uma demorosa e talentosa função. Enquanto uma pesava o volume, 3 abriam "delicadamente" com x-actos as embalagens e no final a última fazia o relatório sobre o conteúdo e afins...

Relatórios fidedignos que referiram a minha encomenda como canos de electricidade e óculos de soldador! Além da PSP ter danificado 3 unidades ao tentar forçar a entrada de uma munição de calibre parecido ao diâmetro interno do cano e nem uma explicação ou pedido de desculpa.

Em Portugal paga-se o valor do papel em que escrevem, tipo 2 euros, uma taxa para as canetas, para a saliva do funcionário, mais o valor do serviço, mais o IVA 20% e mais um enfim de coisas inimagináveis e rídiculas.

Cheguei a receber valores a pagar de 50% do valor total do pedido em pedidos de apenas 20 euros. Um absurdo! E as reclamações ficam sem efeito...

Perde-se muito tempo em papeladas e formalidades e cobram-se demasiados impostos! Os milhões de euros que o Estado português perde todos os dias consequentes da sua falta de transparência, é usual até particulares falsificarem facturas, pedir a lojas internacionais que coloquem valores mais baixos, etc.

Aqui não foi necessário nada disso e paguei e com gosto cerca de 16.50 euros numa encomenda de 120.

Mais informações sobre a alfândega suiça em: www.ezv.admin.ch

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Estamos combinados



Por aqui os frigoríficos em casa são de pequena dimensão, o que ajuda no consumo baixo mas limita em espaço. Para evitar compras diárias, principalmente de carne, que em pequenos embalagens têm preços mais altos, decidimos agora adquirir um combinado. Contas feitas em apenas 4-5 meses este fica pago (não por crédito mas pela poupança e isto dando apenas o exemplo da carne).

Assim, é possível comprar carnes no talho que têm melhores preços. Ao contrário do que os tugas dizem, a carne aqui é de primeira qualidade, não tivesse a Suíça os mais verdes pastos! O peixe "fresco" para o congelado também faz uma enorme diferença.

O "fresco" apenas por estar em gelo e em exposição chega a custar 10 vezes mais do que o congelado e é importado pois a Suíça não tem mar. Ainda, porque podem vir a adquirir um de um país vizinho :)

Sem muita pesquisa, apenas por curiosidade verifiquei o valor de um Zanussi de 325 litros no Conforama (loja suiça) com o valor de 599 CHF (cerca de 390 euros).

O mesmo combinado na Rádio Popular custa + 10 euros e na Worten "apenas" mais 69 euros!

Sendo o salário mínimo em Portugal de 426 euros, este combinado não deveria custar apenas 78 euros?

Estou como a minha avó diz: "nem só com uma pistola se rouba!"

domingo, 23 de novembro de 2008

Domingo em Montreux

Destino: Montreux, já a pensarmos no Marché de Noël.

Sem sorte! É apenas na próxima semana até ao final de Dezembro. Lá estaremos para reportar no Blog :)

Aproveitamos para dar um passeio junto ao Lago Lemán, comprar recordações e comer castanhas quentes :)

A foto da praxe do Freddy Mercury + Miles Davis e as impressionantes figuras nos jardins. Por aqui aproveita-se tudo com muita imaginação e criatividade.

video


Cai Neve em Lausanne, faz Sol no meu país...

Sol de tarde, neve à noite! Que belo país! E que bela maneira de celebrar o 28º aniversário...

video

video

video

E o bolo estava delicioso :)

Passaporte Suiço

A nossa gatinha Kitty e o cãozito Neco receberam os seus passaportes suiços :)

Estão também inscritos no ANIS de acordo com a lei mais recente, apesar de ser facultativo.

Também porque irão viajar de carro a Portugal pela altura do Natal e existem controlos animais na fronteira suiça.



Grande pinta este passaporte! E os donos que pagam os 25 CHF pelo passaporte suiço ainda continuam com permis temporários :)

Quanto ao veterinário pagamos 58.30 CHF por uma vacina contra a Raiva e consulta, num total de 38 euros.

Nada do outro mundo comparado com os honorários do veterinário de Portugal.

Mais informações em:

www.bvet.ch

sábado, 22 de novembro de 2008

Boulangerie Pâtisserie Paul



Esta tarde fomos ao centro da cidade a pé e passamos pela famosa padaria e pastelaria Paul fundada em 1889 na Rua Haldimand em Lausanne.

As montras são apetitosas, o atendimento e simpatia notáveis. Na entrada fomos presenteados com um cadeau, 2 pequenas delícias especialidades da casa.

Infelizmente não ganhamos um jogo em que escolhi dentro de um saco de nozes um prémio (um dos 5 bolos da montra).

Como amanhã é o dia do meu aniversário este foi o bolo escolhido e ficou pela módica quantia de 16.80 CHF, cerca de 11 euros, com 20% de desconto de um vale que saiu no jornal :)

Ainda sobrou um dinheirinho para um Baileys para adoçar um pouco mais a nossa vida! Patrocinados pela sogra :)



Aproveitando a neve e o frigorífico cheio, o bolo faz agora companhia na varanda ao Baileys e às cervejas fresquinhas! :)

Bom Apetite! :P

Self Service

Não queria acreditar nos meus olhos quando vi postos de self service de famílias suiças junto à estrada.

Nestes pequenos espaços vendem-se produtos rurais como flores, batatas, queijo, frutas e legumes mas não há ninguém para nos atender, pesar os artigos ou sequer cobrar o montante total.

Apenas um aviso de agradecimento da família e uma caixa artesanal onde se coloca o dinheiro.

Neste aviso podia-se ler algo do género:

"Eu cultivo estes legumes com os meus filhos para o vosso prazer. Obrigado por respeitar os preços indicados

Família Favre
La Coulette
1092 Belmont
Telefone"






Et voilá!









A metereologia não se engana.

Os suiços ficam deprimidos quando não há neve! E com razão, é uma paisagem lindíssima.

Acordar e nevar fez-me correr para a varanda como uma criança :)


video

Athleticum e Jumbo

Hoje com um pouco de tempo passei no Athleticum e no Jumbo de Bussigny.

O primeiro é uma loja de desporto com várias filiais na Suiça, especialmente no cantão alemão. A segunda uma loja de bricolage já com muitos artigos de Natal.

www.athleticum.ch

www.jumbo.ch

Fiquei impressionado pela quantidade de diversidade que estas lojas tem. Parecia uma criança dentro de uma loja de doces com tanta admiração.

Nem de longe parecido à Sport Zone ou Maxmat de Gaia!

Decidia trazer um artigo, dava uns passos, pousava-o e já tinha outro ainda mais bonito, colorido ou útil.

Realmente por aqui não falta nada, talvez alguns francos a mais para as compras de Natal : )

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Previsões de neve

Previsões de neve para o fim de semana :)

Não haverá melhor prenda de aniversário para este domingo!





quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Internet ADSL

Estou que nem posso...

A Swisscom prometeu-me ADSL + Telefone Fixo a funcionar em 3 dias úteis.

O telefone fica activo após 5 minutos e a Internet após 48 horas!!!

Havia de os processar!!!!!!!! :)

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Blackberry Storm

Ontem fiz um ugrade ao meu Blackberry 8310...

Comprei um Sony Ericsson J110i desbloqueado para o cartão da Migros :)



SMS para Portugal a 10 cêntimos de franco (0,066 euros)

Preço total = 19 euros e com 9.90 euros em chamadas :)

Quando chegar o Storm quero-o ao mesmo preço!

Surprise!

Depois de uma longa noite de trabalho em Portugal acedi a página www.lesfleurs.ch para enviar um grande ramo de flores à minha meia-laranja.



O pedido foi feito às 7 da matina e para minha satisfação entregue no mesmo dia em nossa casa às 16 horas da tarde. Eficientes e pontuais como um relógio... suiço :)

O serviço é excelente com um sistema online simples e entregam em vários países em todo o mundo.

Ficou encantada, não contava com esta surpresa!

E muito menos que passado dois dias eu estivesse de novo em Lausanne via easyjet. Contava regressar apenas em Janeiro.

Habituada a que faça compras online decidi pregar-lhe uma partida. Falei com uma prima nossa vizinha e pedi que lhe telefonasse a informar que o estafeta da Poste (os Correios Suiços) tinha uma embalagem com o meu nome e para pagar 186 francos! Sabia que ia ficar zangada e que viria logo para casa a falar mal de mim!

Arranjei uma caixa com um papel com o valor a pagar. Quando entra, a prima entrega-lhe a caixa e diz que o senhor estava farto de esperar e que queria receber o valor para se ir embora!

O que não esperava era que eu aparecesse na sala a rir-me!

Aqui estou, já em terras helvéticas até ao Natal!

Sábado já se espera neve para os nossos lados :)

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Bragada em Grindel

Boas novas!

Hoje anuncio o Blog de um grande amigo que igualmente se prepara para uma aventura nos Alpes.

http://ausland-grindelwald.blogspot.com

Adicionem aos favoritos, o Bragada promete ter informações úteis sobre Grindelwald :)

Felicidades amigo, lá nos veremos!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

A cavalo dado não se olha o dente

Tenho um sofá cama e uma poltrona a mais em muito bom estado em Portugal. Falei a amigos e a conhecidos. Continua a ocupar espaço e a não ter uso.

Mesmo quem já tenha para a sala, são óptimos para uma pequena sala de jogos ou de convívio. Mas há quem me pergunte primeiro qual a cor e se posso enviar fotografias por email!

Andamos esquisitos, em Lausanne não duravam 2 minutos :) Incroyable mais vrai!

sábado, 8 de novembro de 2008

Dias de arrumações

Decidido a recomeçar de novo coloquei mãos à obra.

Em Janeiro de 2009 muito vai mudar na minha vida, além de um novo país quero tornar-me mais simples e também menos complicado.

Ao longo da vida vamos acumulando bens materiais. Parei para pensar, a vida é bem mais sem tudo isto. Roupa, artigos de desporto, brinquedos, aparelhos domésticos, entre outros.

A Miss Sonhos Milka "queixa-se" das 23 camisas que enviei para a nova casa. E cá entre nós, escolhi apenas as que gostava mais! Mas sou como o pobre rato, sempre com o mesmo fato... : )

Não precisamos de muito para sermos verdadeiramente felizes. Viver num espaço confortável mas sem estar lotado. Cada vez mais aprecio o minimalismo, ganhando espaço e até poupando dinheiro.

Comecei por uma divisão de cada vez, eliminando o que realmente não faz falta e fiquei surpreendido com a quantidade de papéis sem importância que ficaram "arquivados" com o passar do tempo. Costumo dizer à minha mãe que ela não arruma, esconde as coisas. Custa-lhe ver-se livre das memórias.

Ao comprar alguma coisa nova tratarei imediatamente de doar ou reciclar o antigo. Esta semana entregarei os meus brinquedos de infância a uma instituição de caridade. Muitos anos de promessas deixando sempre para o próximo mês...

Revê-los fez-me sorrir, relembrar brincadeiras, amigos e até disputas. A diferença para esta geração, apesar de pertencer à geração dos 30 é impressionante.

Brinquedos básicos e de colecção como a carrinha da selecção de futebol de Espanha 82 em estado impecável. Espero que façam outra criança tão feliz como me fizeram a mim...

Já imagino os miúdos alegres: oh cota carrinhos, bolas e jogos didácticos?! Onde raio está a Playstation...?!

No final sinto-me liberto, similar aquela sensação de quando era miúdo e na catequese tinha que me confessar ao padre. O senhor padre chateava-se sempre comigo porque eu dizia que não tinha novos pecados e os que tinha já os tinha resolvido directamente com Deus...

Mas a sensação com que saía de liberdade e de leveza era fantástica. Deito tudo para trás dos ombros e sigo em frente para cometer mais pecados... ; )